Carta Mensal (março 2022)

por Marcius Lima, Gestor de Recursos e economista formado pela Universidade de Brasília
08 de Abril de 2022, 17:48 h | por Marcius Lima, Gestor de Recursos e economista formado pela Universidade de Brasília
InvestimentoPlanejamento FinanceiroFinançasAtualidades
Análises e perspectivas sobre o mercado financeiro em março de 2022 e os devidos impactos nas carteiras dos investidores

O mundo ainda tenta entender o tamanho do choque de oferta que representa a guerra na Ucrânia. A volatilidade das commodities e as incertezas relacionadas às negociações de cessar-fogo dificultam a avaliação de quanto e por quanto tempo a inflação global ficará pressionada.

Esta incerteza torna cada vez mais difícil a posição dos bancos centrais no combate à inflação, cuja tendência segue altista mesmo que haja um encerramento rápido da guerra e os preços das commodities recuem. A exceção é o caso brasileiro, uma vez que o Bacen está no campo contracionista, já tendo o presidente Roberto Campos Neto afirmado formalmente que a Selic a 12,75% é suficiente para que a inflação caminhe para o centro da meta no “horizonte relevante”, que já inclui o ano de 2023.

No momento, enchergamos um certo otimismo com os investimentos no Brasil, que não está propriamente ligado ao desempenho da economia em si, mas que advém da falta de outras opções interessantes entre os emergentes. Além disso, os investidores estão buscando commodities e bancos atualmente, setores que não são tão afetados negativamente pela alta dos juros, e a bolsa brasileira está entre as que possuem maior exposição a esses setores no mundo.

Destacamos com isso a valorização da nosso moeda, uma das maiores no mundo ao longo do ano, nosso fundo cambial, que detém pequena parcela do capital alocado nas carteiras administradas, apenas para fins de proteção, retornou -7,63%, acompanhando a queda direcional do dólar. Mesmo efeito da desvalorização do dolar tambem impactou ativos internacionais, o Western Asset FIA BDR, fundo de ações globais, apresentou queda de -3,82% em reais mesmo tendo retorno positivo em dólares. Nesse ponto, é importante reforçar que o fundo cambial tem um papel de hedge em nossa carteira e é natural que seus movimentos sejam descorrelacionados com o da bolsa na maior parte do tempo.

Na renda variável brasileira, o Ibovespa encerrou o mês de março em alta de 6,06%, aos 119.999 pontos. Em nossa carteira, tivemos os melhores retornos individuais desde o começo da estratégia para a renda variável exemplos são o Constância Fundamento FIA retornou 7,65% no mês de março/22. O Vinci Seleção FIA, que compõe as carteiras mais arrojadas, bateu 5,71% no mês. Por sua vez,

Nos multimercados, também tivemos grandes resultados dos fundos selecionados pela gestão: o Az Quest Low Vol, que possui uma exposição interessante para o cenário de alta de commodities, rendeu 156% do CDI. O Novus Capital Institucional retornou 188% do CDI; e o Artesanal FIC de FIM, 127% do CDI.

Acompanhe nossos artigos e aprenda ainda mais com a Rio Claro.

Carta Mensal (abril de 2022)

Análises e perspectivas sobre o mercado financeiro em abril de 2022, e os impactos nas carteiras dos investidores

Carta Mensal (fevereiro 2022)

Análises sobre o mercado financeiro em fevereiro de 2022 e os devidos impactos nas carteiras dos investidores.

Carta Mensal (janeiro 2022)

Análises e perspectivas sobre o mercado financeiro em janeiro de 2022 e os devidos impactos nas carteiras dos investidores

O que significa ser uma gestora de investimentos independente?

Conheça a diferença entre o mercado financeiro tradicional e o modelo inovador da Rio Claro Investimentos.
Fale conosco