Especulação vs Investimento

por Pedro Jobim CFP®
01 de Maio de 2019, 10:00 h | por Pedro Jobim CFP®
InvestimentoPlanejamento FinanceiroFinanças
Muita gente, quando imagina um investidor, visualiza a imagem de alguém em frente a um computador, vendendo e comprando ações freneticamente. Essa pessoa, na verdade, é um especulador financeiro. É essencial entender que, especular é, fundamentalmente, diferente de investir seu dinheiro!

Quem especula está tomando riscos no curto prazo com o objetivo de ter um retorno excepcional. É o caso de quem compra ações, por exemplo, para vender em um curto espaço de tempo (dias, semanas ou meses). É, essencialmente, um jogo, e nesse jogo, só ganha quem tem informações que os outros jogadores não têm.

Tomar riscos, no curto prazo, só faz sentido quando você sabe algo que o resto do mercado não sabe!
Pode ser uma informação sigilosa ou algum tipo de estratégia inovadora que explore uma ineficiência de mercado. Mas entenda que não depende só de conhecimento, mas também de sigilo. Isso significa que, ao contrário do que muitos vendem, você não vai aprender uma técnica para ficar rico assinando um relatório ou fazendo um curso, muito menos lendo notícias ou seguindo dicas! Quem ganha com isso são apenas os vendedores de cursos e relatórios (normalmente especuladores que descobriram que suas estrategias não funcionavam) e corretoras, que iludem milhares de pessoas a acreditarem que superar o mercado é simples.

A partir do momento em que uma oportunidade do mercado financeiro é divulgada para o público, seja por notícias, cursos ou relatórios. O mercado rapidamente se ajusta e a oportunidade deixa de existir!

Outra questão é, que, ao contrário de uma estratégia de investimentos, a especulação, em geral, não é escalável. É possível conseguir um retorno excepcional, seja por sorte ou habilidade, mas normalmente isso não dura muito e não funciona com montantes maiores.

Quando se fala de investimentos voláteis, como ações, imóveis, derivativos ou mesmo empresas, nenhum desses ativos faz sentido no curto prazo. Pelo simples fato de ser impossível prever o futuro. Tais investimentos precisam de tempo para maturar e lhe pagar dividendos.

No longo prazo, investir bem, é a ciência de diversificar corretamente obtendo o maior retorno com o menor risco. Quanto mais risco, mais retorno eu preciso ter, até o limite do possível. Ninguém fica rico, de forma rápida, investindo; mas qualquer um pode ficar muito rico no longo prazo, e com muita segurança, investindo bem.

Você pode fazer os dois em paralelo. Investimento é para todos, enquanto especulação é para poucos. É muito importante entender que são coisas bem diferentes e onde você pode chegar com cada um:

Especulação pode dar lucros no curto prazo. Mas tem limites, e põe todo o aplicado capital (e algumas vezes mais do que isso) em risco.

Já, investir é como plantar uma árvore: você precisa de paciência, mas. se fizer da forma correta. com certeza colherá os frutos no futuro!

Acompanhe nossos artigos e aprenda ainda mais com a Rio Claro.

Notícias Econômicas e Investimentos: Outubro 2019

Esclarecemos aqui como os principais acontecimentos econômicos nacionais e internacionais influenciaram as carteiras de investimentos da Rio Claro no mês de outubro. Entenda como o mercado financeiro está movimentando as estratégias de carteiras da Rio Claro.

O maior risco do mercado financeiro

Existe um risco que poucas pessoas enxergam. Por este motivo quase todos estamos expostos a ele. Entenda que risco é esse e formas que você pode evitá-lo.

Você sabe como funciona uma Gestora de Investimentos?

Conheça os processos da Rio Claro Investimentos, a primeira Gestora de Investimentos Independente de Brasília.

O que significa ser uma gestora de investimentos independente?

Conheça a diferença entre o mercado financeiro tradicional e o modelo inovador da Rio Claro Investimentos.